ClubHouse: qual é o espaço da sua marca na rede social do momento?

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Se você não esteve escondido embaixo de uma rocha nas últimas semanas, já deve ter percebido que só se fala em ClubHouse, a nova rede social que funciona exclusivamente por interações de voz. De acordo com o Google, a busca pelo aplicativo cresceu 525% no Brasil na semana entre 30 de janeiro e 6 de fevereiro.

A rede social do momento une usuários em salas de bate-papo para explorar os mais diversos assuntos de interesse. O speaker (ou orador, em português) traz um tema à tona e os ouvintes podem pedir permissão ao moderador para interagir. É possível ter uma ou mais pessoas falando em tempo real.

Em comparação com outras plataformas, em que a produção visual também é necessária, no ClubHouse é só abrir o microfone. Isso facilita a interação e a criação de conteúdos com mais liberdade, agilidade e menos produção.

O aplicativo tem outras particularidades: só entra quem tem convite, não há curtidas e nenhum conteúdo é gravado – a conversa só acontece ao vivo, o que gera a sensação constante de estar perdendo alguma coisa.

A ideia de exclusividade, aliada à repercussão da participação de usuários famosos, como a apresentadora Oprah Winfrey, o cantor Drake e bilionário Elon Musk, alavancou a procura pelo ClubHouse.

Para as empresas, a rede social é mais uma oportunidade de contato com potenciais clientes. Antes de inclui-la na sua estratégia digital, porém, é necessário entender mais sobre ela e sobre onde estão as oportunidades no aplicativo. Quer saber mais? A gente te conta!

 

Como participar?

Primeiro, só os que possuem um iPhone, celular da Apple, podem participar da rede – já que ainda não existe versão compatível para Android. Para entrar, você ainda precisa receber um convite de algum de seus contatos que já faça parte da rede.

 

E se o convite não chegar?

É possível baixar o aplicativo e entrar numa fila de espera até que alguém da sua rede reconheça seu pedido e te inclua na plataforma. Ao entrar, os novos usuários têm o direito de convidar mais duas pessoas.

 

Qual a relevância do ClubHouse?

Criado pela Alpha Exploration Co, empresa de Rohan Seth – ex-funcionário do Google – e do empresário do Vale do Silício Paul Davidson, o ClubHouse começou a ser testado em meados de abril de 2020 e já tem 6 milhões de usuários no mundo.

O número de usuários pode parecer baixo, mas dados do mercado de podcasts, que também funciona exclusivamente por voz, dão uma ideia do potencial de crescimento do ClubHouse: nos Estados Unidos, a média é de 105,6 milhões de ouvintes mensalmente, segundo a Business Insider Intelligence. Além disso, a estimativa de anúncios nesse tipo de mídia para 2021 é de US$ 1 bilhão, ante US$ 479 milhões em 2018, de acordo com previsões de PwC e IAB.

 

Como as marcas podem pegar uma carona na cauda desse cometa?

Ainda que os anúncios não sejam uma realidade atual no ClubHouse, há muitas oportunidades para que as empresas aumentem o reconhecimento de sua marca e fortaleçam a sua reputação – além de, é claro, divulgar seus produtos e serviços. Abaixo, listamos algumas ideias de como fazer isso:
Ampliar o alcance: O ClubHouse cria mais uma possibilidade de transmitir suas mensagens e atingir uma audiência que tenha a ver com a sua marca. Uma ideia, por exemplo, é promover conversas sobre temas que combinam com o seu propósito ou com seus valores.

 

  1. Eleger porta-vozes: Assim como o próprio ClubHouse convidou usuários estratégicos para alavancar a procura pelo app, as marcas podem usar influenciadores para discutir assuntos do seu interesse, convidando o público a um novo espaço de interação.
  2. Se tornar autoridade: É possível escolher um tema para explorar com profundidade, construindo autoridade sobre ele a médio e longo prazo. Aproveite para criar conexões em discussões sobre temáticas que domina, participando ativamente das conversas. É um caminho para expandir seu público e fazer networking.
  3. Fazer pesquisas: Você também pode criar discussões sobre criação e desempenho de produtos e serviços. O fato de a audiência interagir somente por voz, e de que suas interações desapareçam em seguida, faz com que as opiniões possam ser dadas de maneira menos intimidadora.
  4. Promover eventos: Agendar um evento é uma maneira de criar antecipação e garantir a participação de ouvintes – e permite que você divulgue a atividade nas redes sociais em que já tem presença consolidada. Lembrando que o evento não requer nenhuma produção além de um lugar silencioso e o microfone do celular.
  5. Aplicar Product Placement: O conceito se baseia na introdução, de maneira natural, de marcas e produtos em conteúdos de entretenimento. Os debates no ClubHouse permitem que a estratégia seja muito utilizada – mas é preciso que a menção faça sentido no contexto da discussão. Se parecer forçada, ela pode ter o efeito contrário e acabar com o interesse dos ouvintes no que você tem a dizer.

 

Hora de se familiarizar

Apesar de ter gerado muita repercussão, o aplicativo ainda está em versão Beta (em desenvolvimento) e, atualmente, estaria disponível apenas para 20% dos celulares, de acordo com estimativas sobre o número de iPhones no país.

Além de estar trabalhando na versão para Android, o ClubHouse está focado em aumentar a capacidade das salas, que atualmente comportam até 5 mil participantes, e melhorar suas funcionalidades – como o aprimoramento das ferramentas de busca.

Por tudo isso, esse é o momento ideal para se familiarizar com a plataforma e começar a testar modelos para promover seus negócios – afinal, todo mundo está começando junto no ClubHouse.

E lembre-se: você não precisa fazer tudo sozinho. A Jahe Marketing pode ajudar a sua empresa a desenvolver uma estratégia de marketing que combine perfeitamente com os seus objetivos. Fale com a gente!

E, se gostou deste conteúdo, compartilhe com seus contatos ou inscreva-se na nossa newsletter para receber mais dicas e novidades!

Mais posts para você

×

Fale conosco

×