A evolução do instinto: crie conteúdo relevante e feche negócio com base nos dados

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Há tempos ouvimos falar da importância de utilizar os dados para melhorar as decisões e a audiência de uma empresa. Por um lado, matéria-prima é o que não falta para isso: levantamento da IBM, por exemplo, aponta que em 2020 cada pessoa gerou 1,7 megabyte de informações por segundo na internet. Se já ficou difícil calcular o que isso significa, imagine que a consultoria Gartner estima que sejam gerados 2,2 milhões de terabytes de novos dados gerados todos os dias!

O principal desafio é que todo esse material é basicamente uma grande rocha a ser lapidada, mas a maioria dos negócios e profissionais não sabe fazê-lo. É como se nós, usuários, consumidores ou empreendedores estivéssemos perdidos em um oceano (de dados), e quase ninguém sabe nadar.

Nesse cenário, quem consegue trabalhar melhor com essa informação se destaca. Por isso, vale a pena concentrar parte dos esforços para, primeiro, olhar esses dados com atenção e, segundo, produzir conteúdo norteado por eles – no jargão em inglês online, o data-driven content.

Uma pesquisa do Google de 2017, por exemplo, mostrou que quase dois terços dos profissionais de marketing de referência no mercado norte-americano tinham resultados melhores quando se baseavam em dados, em vez de contar apenas com o seu instinto. De lá para cá, a disponibilidade de informações só cresceu!

Isso não quer dizer que talento ou a sua experiência para bolar uma estratégia não sirvam mais na hora de criar uma campanha. Pelo contrário. Tudo isso pode render resultados ainda melhores com a ajuda de ferramentas que coletam, analisam e organizam dados.

Para isso, a Jahe Marketing selecionou algumas ideias para você começar a incluí-los no dia a dia do seu negócio, ou em sua estratégia de comunicação. Vem com a gente!

Conheça melhor o seu público
Muitos imaginam que lidar com dados é uma tarefa reservada a plataformas sofisticadas e programas que analisam milhões de informações em tempo real. Mas é possível começar com ferramentas muito mais simples.

Você pode, por exemplo, pedir que seus clientes preencham formulários, online ou não, para descobrir preferências, sugestões e críticas. Diversas ferramentas na internet permitem que você crie formulários, cujos resultados são de fácil leitura.

Se você deseja sair do básico, o Typerform, por exemplo, tem layouts e interatividade mais avançadas do que os modelos mais simples (que também podem funcionar perfeitamente).

Além de atentar para algumas informações mais óbvias que são relevantes, como faixa etária e rede social de preferência, entender quais são as “dores” do seu cliente (quais problemas eles têm que você pode resolver) e os gatilhos emocionais (o que leva seu público a um produto) também pode render dados importantes para você fidelizar a audiência.

Saiba quais dados coletar
Agora que você conhece seu público melhor, é hora de pensar que tipos de dados podem melhorar o conteúdo que leva para seu site e – claro! – o conteúdo que se converte em vendas e leads qualificados.

O tráfego que chega até sua página, a taxa de conversão, o ticket médio e a taxa de pessoas que abandonam o carrinho podem ser alguns dos KPIs (key performance indicators) importantes para você dar um norte para seu conteúdo, e para sua campanha de forma geral.

Digamos que você precise chegar até uma audiência de uma determinada idade para aumentar o ticket médio e diminuir o abandono de carrinho. Para isso, uma alternativa é criar um blog voltado a essa faixa etária, ou mudar a comunicação visual para torná-la mais atraente para esse grupo.

Pesquise por conta própria
Vá a campo. Fóruns e comunidades são locais bastante relevantes para entender seus clientes ideais. Se você tem um negócio voltado aos fãs de determinado setor, entre em grupos no WhatsApp e Telegram, no Facebook ou no Reddit que abordam esse assunto.

Além disso, converse com sua equipe. Quem lida diariamente com os compradores entende como ninguém as dúvidas, necessidades e reclamações. Quais detalhes definem uma compra? Quem deixa de comprar, desistiu da aquisição por conta de qual motivo?

Utilize ferramentas para transformar dados em informações úteis
Ok, você sabe quais são os itens de relevância para você e conhece sua audiência um pouco melhor. É hora de criar uma programação – de textos em blogs, de entrevista em podcasts, de posts em redes sociais – que seja de fato relevante para:

a) você se tornar um nome de autoridade no assunto escolhido
b) fazer com que essas abordagens baseadas em conteúdo chamem público para o seu negócio

Você pode ter uma infinidade de insights a partir de ferramentas de análise de dados. Essa é uma parte essencial de uma estratégia data-driven. Existem diversas opções gratuitas na internet, ou com bom custo-benefício para negócios de diversos tamanhos.

De forma geral, uma das plataformas mais interessantes para coletar e analisar dados é o Google Data Studio. Ele agrega diversas ferramentas em um mesmo ambiente, tornando mais fácil gerenciar as informações coletadas. Analytics, Ads, Search Console ou MyBusiness (todos do ecossistema Google) podem ser aliados a aplicativos externos, como o MailChimp (para e-mail marketing) e o SEMRush (para SEO e visibilidade online).

Para quem não tem um departamento de marketing ou um profissional que entenda do tema em sua equipe, pode valer a pena ainda buscar a ajuda de consultores ou terceirizar esse trabalho com agências especializadas.

Siga um calendário
Dados que se transformam em insights úteis são importantes para orientar seu conteúdo. Mas até mesmo informações compreensíveis, em excesso, podem deixar você e sua equipe perdidos.

Estipular um cronograma bem pensado, levando em consideração eventos relevantes para o seu negócio, ajuda a criar um norte para a produção de conteúdo. Carnaval, Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Pais, férias escolares, Black Friday ou Natal são datas de grande movimentação em comércios, sites e outros diversos tipos de negócio. Programe-se para adequar o conteúdo à sazonalidade.

São muitas as formas de utilizar dados para melhorar a sua produção de conteúdo e criar uma jornada de compra informativa e prazerosa para seus clientes. Essa maneira de trabalhar uma marca não está ao alcance somente de companhias que têm equipes de marketing estruturadas. A Jahe Marketing pode ajudá-lo a obter bons resultados!

Cadastre-se em nossa newsletter para ficar por dentro das novidades e tendências de comunicação e marketing!

Mais posts para você

×

Fale conosco

×